Belo Horizonte / MG - quarta-feira, 24 de maio de 2017

Retardo Mental

Retardo Mental (RM)

O conceito de RM inclui déficits em habilidades cognitivas assim como em comportamentos adquiridos para auto-suficiência pessoal e social, conhecidas como funcionamento adaptativo. 

Um consenso sobre o termo inclui tanto a adaptação social quanto um quociente intelectual  para se determinar o nível de retardo mental.

As evidências mostram que indivíduos com determinado QI nemsempre têm as mesmas funções adaptativa. Antes chamado de oligofrenia ou outros,  classificado em:

Grau de retardo

Idade Pre-Escolar

0 a 5 anos – maturação

E desenvolvimento

Idade Escolar

6 a 20 anos

Treinamento e

Educaçao

Adulto (21

Anos e acima

Adequaçao Social e Vocacional

Leve

QI 50-70

85%RM

Pode desenvolver habilidades sociais e de comunicaçoa. Déficit mínimo em áreas sensoriomotroras. Geralmente indistinguíveis de outros até idades mais tardias

Podem consegur habilidades escolares compatíveis com a 6ª serie – podem ser levados através de regras sociais

Podem adquirir habilidades sociais e vocacionais adequadas para o  mínimo de auto-suporte mas podem precisar de ajuda e assistência para estressores sociais e econômicos incomuns

Moderado

QI 35-50

10% RM

Pode convesar ou aprender a se comunicar. Pobre convívio social, pobre desenvolvimento motor. Beneficios em treiamento de auto-cuidado. Podem ser instruídos com moderada supervisão

Podem obter benefícios do treinamento em habilidades sociais e ocupacionais. Pouco comumente chegam ao segundo grau acadêmico – podem aprender a viajar sozinhos em locais familiares

Podem adquirir auto-manutenção em alguns tipos de trabalhos supervisionados.

Grave

QI 20-35

4% dos RM

Desenvolvimento motor pobre, mínima fala, geralmente incapazes de obter beneficio do treinamento em auto-cuidado. Pouca ou nenhuma habilidade verbal

Podem conversar ou aprender a se comunicar. Podem ser treinado em hábitos de saúde elementares. Beneficiam-se de treinamento sistemático de hábitos. Incapazes deobter benefícios de treino vocacional

Podem contribuir partcialmente para auto-manutençaõ ate completar supervisão. Podem desenvolver habilidades mínimas de auto-proteçao

Profundo

QI <20

1 a 2%

Retardo Grosseir. Minima capacidade de funcionar em áreas sensoriomtoras. Precisam de cuidados de enfermagem. Precisam de ajua para auto-cuidado e supervisao

Algum desenvolvmenteo motor presente. Podem responder a mínima  ou limitado treinamento em auto-cuidado

Algum desenvolvimento motor e na fala. Podem atingir algum grau de auto-cuidado . Precisam de cuidados de enfermagem.

 

CLASSIFICAÇAO –Incapacidade de obter funcionamento social durante o desenvolimento ou antes dos 18 anos. QI (Quociente Intelectual abaixo de 70). QI de 71 a 84=borderline

EPIDEMIOLOGIA1 a 3% da população tem retardo mental. A incidência é difícil de ser calculada porque a incidência de retardo moderado ou leve muitas vezes é desconhedido até a média infância. Em muitos casos só se percebe o problema na adolescência. Ocorre de uma a 4 vezes mais comumente em homens do que mulheres.

COMORBIDADES (Doenças concomitantes) –  Quanto mais grave o retardo, maior a prevalência de outros transtonos mentais. 

40.7% de crianças de 4 a 18 anos preenchiam critério para pelo menos um outro transtorno metal.
 
Comportamento disruptivoe transtorno de conduta ocorrem mais comumente em grupos com retardo mental.
 
Os pacientes com retardo grave geralemente estão mais associados ao autismo, assim como a auto-mutilaçao.
 
Há grande prevalênca de autismo e transtornos invasivos do desenvolvimento.
 
2 a 3% dos pacientes com retardo mental preenchem critério para esquizofrenia (percentagem muito maior do que na população normal=1%).
 
Mais de 50% dos pacientes com transtorno mental apresentam algum transtorno do humor.
 
A alta prevalência de sintomas psiquiátricos que ocorre em pacientes com retardo mental incluem hiperatividade e dificuldade de atenção, auto mutilação e alterações do comportamento (balançar da cabeça e morder-se ) e comportamentos estereotipados repetitivos ( balançar as mãos ).
 
Apresentam auto-imagem negativa, baixa estima, baixa capacidade de resolver problemas .
 

DISTURBIOS NEUROLOGICOS – a gravidade da psicopatologia (doença mental) aumenta com o grau de retardo mental.  Epilepsia é mais freqüente em paientes com retardo mental.

FATORES PSICO-SOCIAIS – Uma auto imagem negativa e baixa- estima são comuns em clientes com retardo leve ou moderado que percebem sua diferença dos outros.

Eles experientam falhas repetidas e desapontamento em não corresponder à expectativa de seus pais  e da sociedade.

Dificuldades de comunicaçaão aumentam sua vulnerailidade  e frustraçaão, assim como o comportamento inaprpriado e o abandono são muito comuns.

O perpetuo senso de isolamento e inadequação está ligado a sentientos de ansiedade, raiva, disforia e depressão.

ETIOLOGIA –

GENETICA – alterações cromossômicas

trauma perinatal (prematuiridade ) e fatores sociculturais.

A gravidade do retardo depende do grau de exposiçao do sistema nervoso central.

Em ¾ (75% dos casos a etiologia é desconhecida).

As etiologias mais comuns são síndrome de Down, Fenilcetonuria (PKU) e síndrome do X frágil, além de Neurofibromatose, Sindrome de Rett, Esclerose Tuberosa, SIndrome de Lesch Nyhan, adrenoleukodistrofia, síndrome de Prader- Willi

FATORES ADQUIRIDOS E AMBIENTAIS:

- PRENATAL: diabetes gestacional descontrolado, longo uso de álcool ou narcótico mpela mãe, anemia materna, emfisema, hipertensão, infecção materna gestcional,

                * Rubeola – maior causa de malformação congênita e retardo mental causado por infecao materna (já ultrapassou a sífilis),  Citomegalovirus,  Sifilis , Toxoplasmose, Herpes Simples, AIDS , Sindrome Fetal alcoólica, Exposiçao prenatal a drogas:  ex heroína e cocaína

                * Complicaçoes da gravidez – toxemia gravidia e diabetes incotrolado, ma-nutriçao materna, placenta previa, fatores de hipoxia Perinatal

                * Periodo Perinatal – hemorragia intracraniana, isquemia cerebral – baixo peso ao nascer,  Doenças adquiridas na infância , Infecçoes – encefalite e meningite ,  

* Traumatismo Craniano –        

  * Outras: dano cerebral por hpoxia, asfixia,

TRATAMENTO MEDICAMENTOSO-

  • HIPERATIVIDADE – Risperidona foi mais eficaz do que ritalina para reduzir a impulsividade  e baixa tolerância a frustração nesta população.
  • AGRESSAO E AUTO-MUTILAÇAO – lítio, naltrexona, carbamazepina, acido valproico, risperidona
  • DEPRESSAO – irss (fluoxetina, sertralina, paroxetina), tricíclicos
  • MOVIMENTOS ESTEREOTIPADOS – haloperidol (haldol) ou clorpromazina
  • COMPORTAMENTO EXPLOSIVO – propranolol  tem bom resultado.