Belo Horizonte / MG - quinta-feira, 27 de abril de 2017

Problemas relacionados ao uso de álcool

 O uso de álcool é comum  em situações letais que geralmente mascaram outros transtornos mentais.

O álcool está presente em mais de 50% dos homicídios e mais de 50% dos acidentes de trânsito.

A intoxicação alcoólica causa irritabilidade, comportamento violento, seitimentos de depressão e, em raros casos, alucinações e delírios. O uso contínuo de doses elevadas de álcool pode levar à tolerância, assim como a cessação abrupta ou redução do consumo pode causar a síndrome de abstinência.

O alcoolismo é uma das principais causas de internação psiquiátrica em todo o mundo.

EPIDEMIOLOGIA – intoxicação e abstinência alcoólica mimetizam vários transtornos psiquiátricos.

90% dos americanos já tomaram um drink

60 a 70% bebem

40% têm problemas temporários com o álcool

30% dos pacientes psiquiátricos abusam de álcool ou apresentam dependência do mesmo

Raça e Etnia – brancostêm a maior taxa de uso de álcol; hispânicos e negros apresentam taxa similar de bebedeira;

Gênero - homens são bebedores mais pesados do que mulheres

Região- 56% de habitantes de grandes cidades beberam num mês anterior, 52% em pequenas metrópoles e 46% em áreas rurais

Educaçao – 70% dos adultos graduados são usuários de álcool em relação a 40% daqueles que não fizeram faculdade; uso abusivo e esporádico de álcool apresenta a esma taxa entre diferentes níveis de educação

Nível sócio-econômico – todas as classes sociais são afetadas; menos de 5% dos pacientes com problemas relacionados ao álcool apresentam o perfil do alcoólatra crônico

COMORBIDADES

1)      Transtorno de personalidade anti-social: há uma associação entre os dois transtornos

2)      Transtornos do Humor – 30 a 40% das pessoas com problemas relacionados ao álcool preenchem critério para depressão maior durante algum período da vida. Depressão é mais comum em mulheres do que em homens.

a.        Vários estudos demonstram que a depressão é mais comum em pacientes com problemas relacionados ao álcool com alto consumo de álcool e história familiar de alcoolismo. Pessoas com depressão e alcoolismo estão em grande risco de suicídio e abuso de outras substâncias. Alguns médicos recomendam terapia com antidepressivos que remitem após duas a 3 semanas de sobridade.

b.      Pacientes com trasntorno bipolar tipo I  estão em maior risco de desenvolverem alcoolismo – eles costumam utilizar o álcool para se medicarem em episódios maníacos.

3)      Transtornos de Ansiedade – muitas pessoas bebem pela eficácia do álcool em aliviar a ansiedade.  Acomete 25 a50% dos alcoolistas. Fobia e pânico são particularmente freqüentes. O álcool pode ser utilizado para tentar aliviar sintomas de agorafobia ou fobia social.

4)      Suicídio – A maioria das estimativas de prevalência de suicídio entre pessoas com problemas relacionados ao álcool  varia de 10 a 15% dos casos, embora o álcool esteja provavelmente envolvido em um número bem maior de suicídios. Fatores que aumentam o risco de suicídio em alcoolistas são: depressão, fraco suporte social, doença clínica coexistente grave, desemprego e morar sozinho.

EFEITOS NO COMPORTAMENTO – Assim como barbitúricos e benzodiazepínicos, o álcool é um depressor do sistema nervoso central.  Os efeitos variam conforme a concentração de álcool no sangue (alcoolemia)

0,05% - redução da capacidade de julgamento, dificuldade de concentração

0,1% -alteração nas atividades motoras voluntárias são perceptíveis

0,2% -depressão da função motora  em todo o cérebro e partes do comportamento

0,3% - confusão e estupor

0,4 a 0,5% de álcool no sangue=coma

Acima do valor acima há depressão do centro respiratório ou asiraçao de vômito.

EFEITOS NO SONO – Apesar do álcool facilitar o inicio no sono, ele altera sua estrutura. Há redução no sono REM e no sono profundo.

EXAMES LABORATORIAIS – aumento da gama gt, aumento do volume corpuscular, TGO, TGP

CRITÉRIOS PARA SINDROME DE ABSTINÊNCIA ALCOÓLICA-

        Cessação ou redução no uso de álcool

        Dois ou mais dos sintomas abaixo em horas após a abstinência/redução:

        -hiperatividade autonômica: Sudorese ou taquicardia (FC>100)

        - aumento do tremor das mãos

        - insônia

        - náusea ou vômitos

        - alucinações visuais táteis ou auditivas transitórias

- agitação psicomotora

- ansiedade

- convulsões tipo grande mal

Os sintomas acima causam prejuízo social ou ocupacional importante

Os sintomas acima não são causados por outra doença clínica ou mental.

fonte: kaplan 10a edição - compendio de psiquiatria