Belo Horizonte / MG - terça-feira, 21 de novembro de 2017

Disfunções sexuais nas mulheres

Nas mulheres, as formas mais comuns de disfunção são:

Vaginismo – é uma resposta condicionada na qual há espasmo dos músculos perineais  que se contraem  a qualquer estimulo da região.

O objetivo inconsciente é evitar a penetração. Baixa resposta sexual e vasocongestão podem estar presentes e o orgasmo pode ser obtido através de estimulação clitoriana.

Frigidez – é uma complexa condição na qual há uma perda geral de responsividade sexual. A mulher tem dificuldade de experimentar sensação erótica e não tem resposta vasocongestiva.  A atividade sexual varia de evitaçao ativa do sexo a um orgasmo ocasional.

A Disfunção Orgásmica,  onde a mulher tem ma resposta vasocongestiva mas com vários graus de dificuldade em atingir o orgasmo é algumas vezes diferenciada de frigidez.

As causas de frigidez incluem téncicas sexuais pobrdes (ausencia de preliminares adequadas), experiência sexual traumática precoce, disarmonia intrapessoal (problemas conjugais, uso do sexo como medida de controle) e problemas intrapsíquicos (clupa, ansiedade, medo, depresão, stress).

Causas orgânicas incluem  muitas condições que podem causar dor no intercurso (dispareunia=dor à penetração), patologia pélvica, obstrução mecânica e déficits neurológicos.

Distúrbios do desejo sexual – Diminuição ou ausência de libido em  pode ocorrer em função de doenças orgânicas ou psiquiátricas (ansiedade, fobia, evtação, depressão). Muitas doenças crônicas podem prejudicar o desejo.

Distúrbios hormonais incluindo hipogonadismo ou uso de antiandrogenios como acetato de ciproterona e falência renal crônica podem contribuir para a deterioração da atividade sexual. 

A palavra menopausa tem uma relação complicada com a libido e pode ser influeciada por fatores socioculturais.

Álcool, sedativos, narcóticos, maconha e vários medicamentos podem afetar a performance sexual (consulte sempre seu médico).